Um olhar interior...

Sexta-feira, 1 de Janeiro de 2010

 

DESEJO A TODOS OS MEUS AMIGOS E AMIGAS

QUE O ANO DE 2010 SEJA UMA ANO CHEIO DE ALEGRIA,

SEM PROBLEMAS, CHEIO DE SAÚDE, ISENTO DE TRISTEZAS,

RECHEADO DE MUITO AMOR, CHEIO DE MOMENTOS DOCES E AGRADÁVEIS,

REPLETO DE SORRISOS, SEM PROBLEMAS DE DINHEIRO (QUE O HAJA COM FARTURA).

 

PARA OS MAIS OPTIMISTAS:

CONTINUEM A PENSAR ASSIM!!!

 

PARA OS MAIS PESSIMISTAS:

SEJAM FELIZES E PENSEM POSITIVO!!!

 

PARA OS RABUGENTOS:

SORRIAM MUITO E GRITEM BEM ALTO!!!

 

PARA OS APAIXONADOS:

AMEM MUITO E DE TODAS AS MANEIRAS!!!

 

PARA OS GORDOS:

COMAM COM MODERAÇÃO!!!

 

PARA OS MAGROS:

COMAM DE TUDO UM POUCO!!!

 

PARA OS QUE NÃO SE ENQUADRAM NOS ITENS ANTERIORES, DESEJO-LHES QUE:

COMAM, VIVAM, RIAM, PRATIQUEM MUITO SEXO COM AMOR, BEIJEM MUITO, CORRAM, SALTEM, NADEM, VIAJEM, E POR FAVOR ESQUEÇAM A CRISE PORQUE ELA NÃO EXITE SE SOUBEREM TIRAR PARTIDO DE CADA MOMENTO DA  VIDA NÃO HAVERÁ CRISE QUE VOS ABALE.

 

 

PARA TODOS VOTOS DE UM 2010 POSITIVO, ALEGRE E COM SAÚDE.

 

Ana Fernandes- AIMSF

publicado por AIMSF às 00:00
link do post | comentar | | | favorito

Sábado, 28 de Novembro de 2009

 

 

 

 

 DESEJO UM BEIJO TEU... Meu Amor


Tua boca tem o sabor do mar
A magia e os mistérios dos oceanos profundos...
Mergulhar nesses lábios
É subir aos céus e...
E em seguida descer ao inferno...
Inferno criado por tua ausência.

Desejar um beijo teu, meu amor,
É sentir a maciez da tua boca
Carnuda,
Sedutora,
Infernal.
É sentir o toque dos teus lábios
Nos meus olhos fechados
Ouvindo tua voz macia dizer, perguntar,
Que foi que aconteceu para eu gostar tanto assim de ti?

Nesse dia especial,
Desejar um beijo teu, meu amor,
É sentir todas as formas de beijar...
Beijos cálidos, quentes...
Do amigo, amante...
Beijos puros, doces que acalentam
E me fazem dormir depois do cansaço.

Desejar um beijo teu, meu amor,
É sentir por todo meu corpo
A caricia dos ventos suaves
Nas noites de calmaria...

Mas, desejar um beijo teu, meu amor,
Como desejo agora...
É sentir a violência dos ventos uivantes
E o calor do SOL
Que me dilaceram as carnes,
Os sentidos...
Fazendo-me perdida entre esse beijo...
E, o desejo de te possuir com outros beijos...
Beijos,
Beijos,
Beijos...

 

Reinadi Sampaio (eu flor-caminho só)

publicado por AIMSF às 22:23
link do post | comentar | | | favorito

Quarta-feira, 25 de Novembro de 2009

 

 

Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela,

 

E vendo-a sempre de maneiras diferentes do que a encontro a ela.

Faço pensamentos com a recordação do que ela é quando me fala,

 

E em cada pensamento ela varia de acordo com a sua semelhança.

Amar é pensar.

 

 

E eu quase que me esqueço de sentir só de pensar nela.

Não sei bem o que quero, mesmo dela, e eu não penso senão nela.

Tenho uma grande distração animada.

 

Quando desejo encontrá-la

 

Quase que prefiro não a encontrar,

Para não ter que a deixar depois.

Não sei bem o que quero, nem quero saber o que quero.

Quero só Pensar nela.

 

 

Não peço nada a ninguém, nem a ela, senão pensar.    

 

 Alberto Caeiro- heterónimo de Fernando Pessoa

 

publicado por AIMSF às 10:17
link do post | comentar | | | favorito

Sexta-feira, 30 de Outubro de 2009

 

Não te Fies do Tempo nem da Eternidade

 

 

Não te fies do tempo nem da eternidade
que as nuvens me puxam pelos vestidos,
que os ventos me arrastam contra o meu desejo.
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te vejo!

Não demores tão longe, em lugar tão secreto,
nácar de silêncio que o mar comprime,
ó lábio, limite do instante absoluto!
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te escuto!

Aparece-me agora, que ainda reconheço
a anêmona aberta na tua face
e em redor dos muros o vento inimigo...
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te digo...

Cecília Meireles, in 'Retrato Natural'

publicado por AIMSF às 14:38
link do post | comentar | | | favorito

Terça-feira, 27 de Outubro de 2009

Sentei-me à beira-mar

 

Sentei-me à beira-mar

O sol batia-me no rosto.

O vento fazia-me arrepiar…

Olhei em teus olhos

Vi-me reflectida em ti.

Suavemente tocaste na minha mão

Estremeci… Corei... Sorri…

Ninguém controlava aquela situação

Ninguém sabia onde ia parar…

Um leve suspiro…

Uma momentânea troca de um olhar…

E tanto que eu te queria dizer…

Dei por mim na tua boca

Um toque… um beijo…

Nada mais ficaria por dizer

Sentias o meu desejo

Era mais do que podias saber…

Queria-te mais que tudo…

E ali ficamos… olhamos o horizonte

Abraçados… longe do mundo

Entre beijos e olhares e carinhos

E palavras sinceras que saíam…

 

É assim que me fazes sentir

É assim que quero estar

Junto a ti… sentir-te… beijar-te…

Estarei a sonhar? Sim, estou…

Mas estamos quase a acordar

E um no outro vamo-nos saciar…

 

 

Ass: Vânia


 

publicado por AIMSF às 14:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | | | favorito

Quarta-feira, 21 de Outubro de 2009

 Elegia do Ciúme

A tua morte, que me importa,
se o meu desejo não morreu?
Sonho contigo, virgem morta,
e assim consigo (mas que importa?)
possuir em sonho quem morreu.

Sonho contigo em sobressalto,
não vás fugir-me, como outrora.
E em cada encontro a que não falto
inda me turbo e sobressalto
à tua mínima demora.

Onde estiveste? Onde? Com quem?
— Acordo, lívido, em furor.
Súbito, sei: com mais ninguém,
ó meu amor!, com mais ninguém
repartirás o teu amor.

E se adormeço novamente
vou, tão feliz!, sem azedume
— agradecer-te, suavemente,
a tua morte que consente
tranquilidade ao meu ciúme.

David Mourão-Ferreira, in "Tempestade de Verão"

publicado por AIMSF às 14:27
link do post | comentar | | | favorito

Sexta-feira, 2 de Outubro de 2009

 

O Beijo Mata o Desejo


«Não te beijo e tenho ensejo
Para um beijo te roubar;
O beijo mata o desejo
E eu quero-te desejar.»

Porque te amo de verdade,
'stou louco por dar-te um beijo,
Mas contra a tua vontade
Não te beijo e tenho ensejo.

Sabendo que deves ter
Milhões deles p'ra me dar,
Teria que enlouquecer
Para um beijo te roubar.

E como em teus lábios puros,
Guardas tudo quanto almejo,
Doutros desejos futuros
O beijo mata o desejo.

Roubando um, mil te daria;
O que não posso é jurar
Que não te aborreceria,
E eu quero-te desejar!   

António Aleixo, in "Este Livro que Vos Deixo..."

 


 

publicado por AIMSF às 16:27
link do post | comentar | | | favorito

Domingo, 26 de Abril de 2009

 Imagino

Neste exacto momento
em que escrevo estas palavras,
é teu o meu pensamento,
embora tu não o saibas,
em que, num sorriso, recordo
o toque da tua pele
e imagino nos teus lábios
o mais puro e doce mel.
E imagino segredos
e histórias por revelar;
e com a ponta dos meus dedos
anseio em te tocar;
e num tom de voz baixinho
ao teu ouvido sussurrar,
enquanto te faço um carinho,
enquanto leio o teu olhar.
E, logo depois, lentamente
pegar na tua mão;
sentir nela, o teu corpo quente,
sentires nela o meu coração.
E depois suave e doce
afagar o teu cabelo,
como se um poema fosse,
como se pudesse eu escrevê-lo.
Imagino finalmente,
ou talvez seja um desejo,
abraçar-te ternamente,
enquanto provo o teu beijo. 

 

Mythos

publicado por AIMSF às 14:44
link do post | comentar | | | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


CURRENT MOON
free counters
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro