Um olhar interior...

Sexta-feira, 9 de Outubro de 2009

 

She Wolf
 
S.O.S she is in disguise
S.O.S she is in disguise
There's a she wolf in disguise,
Coming out, coming out, coming out
A domesticated girl that's all you ask of me,
Darling it is no joke, this is lycanthropy.
Finally I have found some powerfull craft
That makes me forget all your shame,
All this rush in my head makes me hungry and free,is not time for your silly apologies
Is not in my plans just stay pretty and nothing else
Like a coffee machine in an office,
Now wish I had wings but instead, I have claws
Anyway, you will be so jealous.

There's a she-wolf in the closet,
Open up and set her free
There's a she-wolf in the closet,
Let it out so it will breathe.

I have wheels on my hills
‘Cause bootcrush might appear
The quiet full moon
I will eat it as a cheese.
To look for a single man I've got my very special radar,
Fire department's on hotline in case I get in trouble later
Even when tonite I just follow my instincts,
Trust me, I know what I want and rich boys are out of my range
I prefer all the outcasts, and shy bohemians instead of gold boys and superfakes.

There's a she-wolf in the closet,
Open up and set her free
There's a she-wolf in the closet,
Let it out so it will breathe.

I..m the she wolf, tonight
I..m excused even when I don..t need it
I..m not refused,
I..ve been Devoting myself to you Monday to Monday and Friday to Friday,
Not getting enough retribution
Reducing incentive to keep me at it.
I..m feeling really lucky tonigh.
 

 

Shakira

publicado por AIMSF às 11:18
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 7 de Outubro de 2009

night240.jpg image by aalmas

 

Anjo és

 

 Anjo és tu, que esse poder
Jamais o teve mulher,
Jamais o há-de ter em mim.
Anjo és, que me domina
Teu ser o meu ser sem fim;
Minha razão insolente
Ao teu capricho se inclina,
E minha alma forte, ardente,
Que nenhum jugo respeita,
Covardemente sujeita
Anda humilde a teu poder.
Anjo és tu, não és mulher.

Anjo és. Mas que anjo és tu?
Em tua frente anuviada
Não vejo a croa nevada
Das alvas rosas do céu.
Em teu seio ardente e nu
Não vejo ondear o véu
Com que o sôfrego pudor
Vela os mistérios damor.
Teus olhos têm negra a cor,
cor de noite sem estrela;
A chama é vivaz e é bela,
Mas luz não tem. - Que anjo és tu?
Em nome de quem vieste?
Paz ou guerra me trouxeste
De Jeová ou Belzebu?

Não respondes - e em teus braços
Com frenéticos abraços
Me tens apertado, estreito!...
Isto que me cai no peito
Que foi?... Lágrima? - Escaldou-me...
Queima, abrasa, ulcera... Dou-me,
Dou-me a ti, anjo maldito,
Que este ardor que me devora
É já fogo de precito,
Fogo eterno, que em má hora
Trouxeste de lá... De onde?
Em que mistérios se esconde
Teu fatal, estranho ser!
Anjo és tu ou és mulher?
 

 

Almeida Garrett

 

publicado por AIMSF às 12:06
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 6 de Outubro de 2009

 

 "Desde que existe a morte, imediatamente a vida é absurda. Sempre pensei assim." 

                                                                                                                                           Amália

 

23 de Julho de 1920

6 de Outubro de 1999

 

 

Saudades de Amália

 

 

 

 

 

Gosto de te Ver Assim

Gosto de te ver assim
Gosto de ti ao meu lado
Mas tu não gostas de mim
E andas muito afastado

Gosto de te ver assim
Com qualquer coisa no rosto
A dizer-me que é por mim
Que andas assim bem disposto

Gosto de ter ver assim
A fingir não entender
O sofrimento ruim
Da doença de te querer

Gosto de te ver assim
Mas gostava ainda mais
Que esse assim fosse por mim
Ai Amália, aonde vais...

Amália Rodrigues

publicado por AIMSF às 10:17
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 3 de Outubro de 2009

 

Desire

The sun blowing the moon away lights me up for one more day.
The streets are naked in the morning sun

 

The night is behind me
I run and run.

 

Morning heat puts a thin film of sweat on my face.
A little man
his eyes half closed
puts chairs on tables

 

Admires his work and collects a quater from the floor.
I head over the Broadway where I watch myself

 

Having a slow breakfast and trying to impress the barman
With a fresh voice when I ask for the bill.
The sun blowing the moon away lights me up
for one more day. ...

 

Desire
desire - for the unknown eyes.
Desire - for the unknown name
I'm burning - in the morning sun
I'm on the run.
Desire - for the unknown name
desire - for the unknown love

publicado por AIMSF às 16:28
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 2 de Outubro de 2009

 

O Beijo Mata o Desejo


«Não te beijo e tenho ensejo
Para um beijo te roubar;
O beijo mata o desejo
E eu quero-te desejar.»

Porque te amo de verdade,
'stou louco por dar-te um beijo,
Mas contra a tua vontade
Não te beijo e tenho ensejo.

Sabendo que deves ter
Milhões deles p'ra me dar,
Teria que enlouquecer
Para um beijo te roubar.

E como em teus lábios puros,
Guardas tudo quanto almejo,
Doutros desejos futuros
O beijo mata o desejo.

Roubando um, mil te daria;
O que não posso é jurar
Que não te aborreceria,
E eu quero-te desejar!   

António Aleixo, in "Este Livro que Vos Deixo..."

 


 

publicado por AIMSF às 16:27
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
16
17

18
19
22
24

25
26
28


subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro