Um olhar interior...

Sexta-feira, 1 de Janeiro de 2010

 

DESEJO A TODOS OS MEUS AMIGOS E AMIGAS

QUE O ANO DE 2010 SEJA UMA ANO CHEIO DE ALEGRIA,

SEM PROBLEMAS, CHEIO DE SAÚDE, ISENTO DE TRISTEZAS,

RECHEADO DE MUITO AMOR, CHEIO DE MOMENTOS DOCES E AGRADÁVEIS,

REPLETO DE SORRISOS, SEM PROBLEMAS DE DINHEIRO (QUE O HAJA COM FARTURA).

 

PARA OS MAIS OPTIMISTAS:

CONTINUEM A PENSAR ASSIM!!!

 

PARA OS MAIS PESSIMISTAS:

SEJAM FELIZES E PENSEM POSITIVO!!!

 

PARA OS RABUGENTOS:

SORRIAM MUITO E GRITEM BEM ALTO!!!

 

PARA OS APAIXONADOS:

AMEM MUITO E DE TODAS AS MANEIRAS!!!

 

PARA OS GORDOS:

COMAM COM MODERAÇÃO!!!

 

PARA OS MAGROS:

COMAM DE TUDO UM POUCO!!!

 

PARA OS QUE NÃO SE ENQUADRAM NOS ITENS ANTERIORES, DESEJO-LHES QUE:

COMAM, VIVAM, RIAM, PRATIQUEM MUITO SEXO COM AMOR, BEIJEM MUITO, CORRAM, SALTEM, NADEM, VIAJEM, E POR FAVOR ESQUEÇAM A CRISE PORQUE ELA NÃO EXITE SE SOUBEREM TIRAR PARTIDO DE CADA MOMENTO DA  VIDA NÃO HAVERÁ CRISE QUE VOS ABALE.

 

 

PARA TODOS VOTOS DE UM 2010 POSITIVO, ALEGRE E COM SAÚDE.

 

Ana Fernandes- AIMSF

publicado por AIMSF às 00:00
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009

 

 

A noite desce...

Como pálpebras roxas que tombassem
Sobre uns olhos cansados, carinhosas,
A noite desce... Ah! doces mãos piedosas
Que os meus olhos tristíssimos fechassem!

Assim mãos de bondade me embalassem!
Assim me adormecessem, caridosas,
E em braçadas de lírios e mimosas,
No crepúsculo que desce me enterrassem!

A noite em sombra e fumo se desfaz...
Perfume de baunilha ou de lilás,
A noite põe-me embriagada, louca!

E a noite voi descendo, muda e calma...
Meu doce Amor, tu beijas a minhalma
Beijando nesta hora a minha boca!
 

 

Florbela Espanca

 

publicado por AIMSF às 15:57
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 12 de Outubro de 2009

You are welcome to elsinore


Entre nós e as palavras há metal fundente
entre nós e as palavras há hélices que andam
e podem dar-nos morte violar-nos tirar
do mais fundo de nós o mais útil segredo
entre nós e as palavras há perfis ardentes
espaços cheios de gente de costas
altas flores venenosas portas por abrir
e escadas e ponteiros e crianças sentadas
à espera do seu tempo e do seu precipício

Ao longo da muralha que habitamos
há palavras de vida há palavras de morte
há palavras imensas, que esperam por nós
e outras, frágeis, que deixaram de esperar
há palavras acesas como barcos
e há palavras homens, palavras que guardam
o seu segredo e a sua posição

Entre nós e as palavras, surdamente,
as mãos e as paredes de Elsinore

E há palavras nocturnas palavras gemidos
palavras que nos sobem ilegíveis à boca
palavras diamantes palavras nunca escritas
palavras impossíveis de escrever
por não termos connosco cordas de violinos
nem todo o sangue do mundo nem todo o
amplexo do ar
e os braços dos amantes escrevem muito alto
muito além do azul onde oxidados morrem
palavras maternais só sombra só soluço
só espasmos só amor só solidão desfeita

Entre nós e as palavras, os emparedados
e entre nós e as palavras, o nosso querer falar.

 

 

Mário Cesariny
 

 

publicado por AIMSF às 14:20
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sexta-feira, 2 de Outubro de 2009

 

O Beijo Mata o Desejo


«Não te beijo e tenho ensejo
Para um beijo te roubar;
O beijo mata o desejo
E eu quero-te desejar.»

Porque te amo de verdade,
'stou louco por dar-te um beijo,
Mas contra a tua vontade
Não te beijo e tenho ensejo.

Sabendo que deves ter
Milhões deles p'ra me dar,
Teria que enlouquecer
Para um beijo te roubar.

E como em teus lábios puros,
Guardas tudo quanto almejo,
Doutros desejos futuros
O beijo mata o desejo.

Roubando um, mil te daria;
O que não posso é jurar
Que não te aborreceria,
E eu quero-te desejar!   

António Aleixo, in "Este Livro que Vos Deixo..."

 


 

publicado por AIMSF às 16:27
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 7 de Agosto de 2009

É assim que te quero, amor,
assim, amor, é que eu gosto de ti,
tal como te vestes
e como arranjas
os cabelos e como
a tua boca sorri,
ágil como a água
da fonte sobre as pedras puras,
é assim que te quero, amada,
Ao pão não peço que me ensine,
mas antes que não me falte
em cada dia que passa.
Da luz nada sei, nem donde
vem nem para onde vai,
apenas quero que a luz alumie,
e também não peço à noite explicações,
espero-a e envolve-me,
e assim tu pão e luz
e sombra és.
Chegastes à minha vida
com o que trazias,
feita
de luz e pão e sombra, eu te esperava,
e é assim que preciso de ti,
assim que te amo,
e os que amanhã quiserem ouvir
o que não lhes direi, que o leiam aqui
e retrocedam hoje porque é cedo
para tais argumentos.
Amanhã dar-lhes-emos apenas
uma folha da árvore do nosso amor, uma folha
que há-de cair sobre a terra
como se a tivessem produzido os nossos lábios,
como um beijo caído
das nossas alturas invencíveis
para mostrar o fogo e a ternura
de um amor verdadeiro.

Pablo Neruda

publicado por AIMSF às 15:23
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 1 de Julho de 2009

 

 

Um Dia de Domingo

Eu preciso te falar
te encontrar
de qualquer jeito
pra sentar e conversar
depois andar
de encontro ao vento
eu preciso respirar
o mesmo ar que te rodeia
e na pele quero ter
o mesmo sol
que te bronzeia
eu preciso te tocar
e outra vez
te ver sorrindo
e voltar num sonho lindo
já não dá mais pra viver
um sentimento sem sentido
eu preciso descobrir
a emoção de estar contigo
ver o sol amanhecer
e ver a vida acontecer
num dia de domingo
Faz de conta que
ainda é cedo
tudo vai ficar
por conta da emoção
Faz de conta que
ainda é cedo
e deixar falar a voz
a voz do coração

Gal Costa & Tim Maia

publicado por AIMSF às 09:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 6 de Junho de 2009

 

Discoteca Amnésia em Ibiza.

Estive lá em 2004 e este ano quero lá voltar.

As festas lá são tantas que é difícil escolher.

Tá quase....

 

 

Ana Fernandes- AIMSF

publicado por AIMSF às 19:36
link do post | comentar | favorito

Sábado, 30 de Maio de 2009

 

 728945.jpg image by tmaneca

" Amor é prosa, Sexo é poesia "

 

Amor é prosa,
Sexo é poesia
Dou-te uma rosa,
Jogo os meus sonhos à maresia

Penoso aquele que perde o olhar,
Aquele sentimento que foi perdido.
 

De novo tenta, um coração apanhar
Um bom coração, que lhe é devido

Ele segue o seu coração
Evitando artimanhas
Que a vida prega no caixão
Escuro, cheio de teias de aranhas

Está escrito no seu destino
Sentir-se feliz
De longe, torcido o pepino
Como ser feliz, ninguem lhe diz

Amor é prosa
A continuação de uma busca
A morte desafia gulosa,
Sempre muito cusca.

 

Pedro Heliodoro

 

 

publicado por AIMSF às 16:45
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


CURRENT MOON
free counters
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro